"Longe é um lugar perto que se chega com paciência."
(Fábio Ibrahim El Khoury)

Facebook

segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Satyaprem - des-ilusão: portal para satsang





des-ilusão: portal para satsang

Estar em Satsang é estar no vazio da ausência das crenças.
É estar no ponto onde não há necessidade de crer no que quer que seja,
pela mera investigaçao de cada crença, dando-se conta de que toda crença é condicionada.
Toda crença tem uma condição pela qual ela exista, tem uma função.
Surge para manter um estado de realidade das coisas, que não é o seu estado natural.
Se você entender a diferença entre natural e artificial, vai entender que o estado natural das coisas
é absolutamente anterior a sua existência, é anterior a qualquer condição que seja posta.

Investigando os conceitos na sua mente, é possível que entre em contato com um oceano tão vasto
de crenças não investigadas, que lhe façam pensar: “Como parar de acreditar nas coisas que eu acredito?”
Para talvez tornar mais palpável o que estou dizendo... hoje mesmo, abri uma revista
e numa das matérias alguém estava falando do “Encontro das mulheres desiludidas”.
Mas ninguém se deu conta de que as mulheres e os homens, em geral, estão iludidos.
Quando você perde algo ou alguém, você entra num grande processo de desilusão.
Na nossa cultura olhamos para isso e dizemos: “A coitada, está desiludida com o marido. A coitada, está desiludida com os relacionamentos”.
Ora! Vejamos de uma forma positiva: “des-iludir-se” é entrar em contato com a realidade.
Mas dentro da lógica à qual todos estão condicionados, entrar em contato com a realidade é algo absolutamente não-desejável.

Cada desilusão na sua vida é um portal para o Satsang acontecer.
Revela que você estava projetando algo em alguém ou num dado fenômeno, numa determinada condição...
e o que esperava não veio a acontecer. A tendência da mente é trocar de pessoa, de objeto, mas continuar com a ilusão.
Veja como você faz... Troca de carro, troca de namorado, troca de terapeuta, troca de emprego... está sempre projetando a sua realização nas mãos de algo ou alguém.

Se você olhar para Satsang, de verdade, vai ver que a sua realização não está nas mãos de ninguém,
que, inclusive, não pode ser projetada no futuro.
Você só pode ser quem você é, aqui e agora.
E uma vez que isso seja realizado há a tendência de que você sofra uma série de “des-ilusões”.

Se você olhar do ponto de vista cultural condicionado, ao conversar com sua mãe sobre a não existência do Papai Noel,
ela, certamente, sentirá muita pena de você. Mas se compartilha com alguém que já realizou o mesmo, ele dirá:
"Que bom! Finalmente você está acordando para aquilo que é”.
 

  

Satsang é um confronto, um confronto de você com seus conceitos. Deixe-me dizer de outra forma: Satsang não é confronto com seus medos, Satsang é encontro com a verdade, e a verdade é absolutamente livre de medos.


.

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

Senhor, qual é sua ideia sobre um novo mundo?




Senhor, qual é sua ideia sobre um novo mundo?

Interrogante: Senhor, qual é sua ideia sobre um novo mundo? Krishnamurti: Não tenho ideia sobre um novo mundo. O “novo” mundo não pode ser novo se eu tenho uma ideia sobre ele. Esta não é apenas uma afirmação astuciosa, é um fato. Se eu tenho uma ideia sobre isto, a ideia nasceu de meu estudo e experiência, não é? Ela nasceu do que eu aprendi, do que li, do que outras pessoas disseram sobre como seria um novo mundo. Assim, o “novo” mundo nunca pode ser novo se ele é uma criação da mente, porque a mente é o velho. Você não sabe o que vai acontecer amanhã, sabe? Você pode saber que não haverá escola amanhã porque é domingo, e que na segunda-feira você vai para a escola novamente, que tipos de sentimentos você vai ter, que tipos de coisas você vai ver – nada disso você sabe, não é? Porque você não sabe o que vai acontecer amanhã, ou na próxima manhã, quando acontecer será novo; e ser capaz de encontrar o novo é o que importa.

Krishnamurti - Life Ahead Part Two Chapter 1


Postagens populares